Navegação
Total de Visitas desde 2011:  2868941

Última Corrida da temporada 2023 foi abençoada, pois tudo correu de perfeição.

Boas maneiras das jovens promessas.

NOITE HISTÓRICA ,na primeira da Feira Taurina da Moita

Clique na Foto Para Aumentar

NOITE HISTÓRICA ,na primeira da Feira Taurina da Moita

Praça de Toiros “Daniel do Nascimento” – Moita – 12/09/23 – Corrida Mista

Ganadarias: Canas Vigoroux (volta pós lide do 5º); Calejo Pires (2 voltas após lide do 4º)

Cavaleiros: Rui Fernandes (volta – volta), Duarte Fernandes (volta – volta)

Director: João Cantinho – Veterinário: Jorge Moreira da Silva – Lotação: 2/3 fortes

Forcados Amadores da Moita (volta – volta- volta)

Matador: Juanito (volta – ovação)

Novilheiro aspirante: Tomás Bastos (2 voltas e saída em ombros)

NOITE HISTÓRICA PARA TOMÁS BASTOS: 2 VOLTAS E SAÍDA EM OMBROS PELA PORTA GRANDE

Noite histórica a protagonizada pelo benjamim dos novilheiros sem picadores, Tomás Bastos, autor de uma extraordinária e aclamada faena e premiada com a saída em ombros pela Porta Grande da “Daniel do Nascimento”. Foi arte pura, foi perfume de raras essências, foi profundidade dos muletazos, foi tourear como só os eleitos, os predestinados, o podem e conseguem fazer. E colocar todo o público de pé, a aplaudir o seu labor, foi algo mágico e de histórico que fez abrir de par em par a Porta Grande. Foi o sonho transformado realidade na intuição e habilidade toureira de um jovem que é de Vila Franca e se chama Tomás Bastos, fazendo ressurgir o solgan de seu tio-avô José Júlio e que percorreu o mundo taurino. Enhorabuena Tomás e que Deus te acompanhe nesta caminhada, longa e cheia de espinhos, mas também de muitos momentos mágicos como aqueles que proporcionaste na noite de terça-feira na Moita.

A tradicional corrida do Município abriu a Feira Taurina da Moita, e como sempre, uma corrida mista com aliciantes que não defraudam, bem pelo contrário.

Abriu praça Rui Fernandes com uma lide bem medida, com classe na brega e nos remates e bons ferros que começaram a aquecer o público mas onde faltou um pouco mais de toiro para emprestar mais emoção às sortes.

Pouco visto entre nós, seu sobrinho Duarte Fernandes foi a primeira lufada de ar fresco da noite, também ele autor de uma boa lide, na justa medida ao que o toiro pedia e permitia e rematada de forma espectacular com um curto de grande nível e no remate duas ajustadas e arrimadas piruetas que fizeram o público levantar-se para o aplaudir.

A lide a duo foi de bom entrosamento entre os dois cavaleiros, bem na brega e nos remates, com um comprido cada e dois curtos de boa nota, sem momentos mortos e a deixarem ainda um de palmo cada um numa lide que agradou ao grande público frente a um bom toiro de Canas Vigorou premiado com volta à arena para a representante da ganadaria. Também os outros dois da lide a cavalo foram de Canas Vigoroux.

Juanito exibiu-se a contento de capote frente ao 3º da noite, de Calejo Pires e que cumpriu. Esteve Juanito bem de muleta pelo lado direito, com algumas boas séries e depois pelo lado esquerdo não houve tanta potabilidade nas investidas do toiro. Teve um final de faena arrumadíssimo e deu volta sob fortes aplausos. O seu segundo, também de Calejo Pires, precisava ter levado uma varita já que por vezes as suas investidas eram algo descompostas, mostrando mais génio que bravura. Faena a cumprir mas sem grandes cometimentos.

Para as pegas dos 3 toiros lidados a cavalo saltaram à arena os Amadores da Moita: João Raposo, o cabo, consumou à segunda, seguido de João César muito bem e à 1º, tal como David Solo no quinto da noite. O Grupo ajudou bem e teve uma boa prestação.

Dirigiu com acerto João Cantinho, apesar de permitir demasiados tempos mortos antes do toureio a pé. Foi assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

Texto: António Lúcio

13/09/2023

17:41

Última Corrida da temporada 2023 foi abençoada, pois tudo correu de perfeição.

Boas maneiras das jovens promessas.