Filipe Martinho em Badajoz

Personagens da FESTA Arruda dos Vinhos

Boa tarde de Toiros na Arruda por acasião das Festas de Santo António.

Clique na Foto Para Aumentar

Boa tarde de Toiros na Arruda por acasião das Festas de Santo António.

Praça de Toiros de Arruda dos Vinhos , 13/06/2021

Toiros da Ganadaria  Vale Sorraia

Cavaleiros: Rui Salvador, Ana Batista, Parreirita Cigano, Mara Pimenta, Joaquim Brito Paes, António Telles (filho)

Forcados Amadores de Azambuja, Alenquer, Arruda dos Vinhos

De Tomar veio Rui Salvador para assinar a exibição mais completa e arrebatadora da tarde em Arruda dos Vinhos. Se as coisas não correram de feição no único comprido em que sofreu forte toque, voltou á arena montado num extraordinário cavalo ruço que parecia uma muleta na lide a um toiro que acabou por se entregar ao poderio da lide de Salvador. Lidou com classe, sempre muito ligado com o toiro, recortando-se em curto para o deixar colocado para a ferragem que foi de muito mérito, dois deles em sortes a sesgo e rematadas para a direita e em espaço muito apertado, valendo-lhe fortes aplausos do público. Um justo triunfo para um toureiro de casta.

Ana Batista também assinou uma boa prestação frente a um toiro que teve qualidade e ao qual soube dar a lide que o toiro requeria. Lidou bem, deixou-se ver nos cites e rematou como mandam as regras, com classe e suavidade, em cinco curtos de muito bom nível e que o público soube premiar. E onde há classe… há tudo o resto.

Para lidar o terceiro saiu à arena Parreirita Cigano. Um toiro que não ajudava, mansote e a descair para tábuas, mas que o cavaleiro do Cartaxo soube lidar, em especial na série de curtos. O primeiro e o último dos curtos foram de muito boa nota, neste a pisar muito os terrenos do toiro. Tem que dar mais importância aos compridos.

Mara Pimenta trouxe a sua frescura e jovialidade e deu um bom passo a caminho da alternativa, mostrando soluções e cravando bem os ferros, nomeadamente a série de curtos, onde houve bom toureio e boas cravagens, para rematar bem com um  palmito e tendo dado a volta a um mansote que cedo procurou o refúgio de tábuas.

Joaquim Brito Paes voltou a mostrar a sua boa equitação e sentido de lide frente a um toiro que fez alguns estranhos de início no capote mas que, com a lide, foi permitindo alguns bons ferros com destaque para terceiro e quinto, numa actuação  muito positiva.

Em último lugar actuou António Telles (Filho) que teve por diante o menos colaborador dos seis toiros lidados e que pertenciam à ganadaria de Vale Sorraia. Teve de se empenhar para deixar a ferragem da ordem, pouco certeira num dos compridos mas a melhorar na série de curtos. O seu bom conceito de toureio ficou patente.

Três Grupos de Forcados saltaram à arena para pegar os “Vale Sorraia”: Azambuja, Alenquer e Arruda dos Vinhos, os quais disputaram o troféu Junta de Freguesia de Arruda para a melhor pega e que foi atribuída às 5ª e 6ª pegas. Assim, os Forcados Amadores de Azambuja mandaram para a cara do primeiro da tarde o forcado Fábio Tomás que apenas à 4ª tentativa consumou e no seu segundo toiro foi para a cara Diogo Nunes que se lesionou na única tentativa que efectuou, sendo dobrado por Fábio Nunes que só à 3ª e a sesgo conseguiu consumar. Pelos Amadores de Alenquer e no segundo toiro da tarde foi para a cara Diogo Francisco que se fechou á primeira e no quinto da ordem o forcado Pedro Lourenço numa boa consumação à 1ª tentativa. Finalmente e pelos Amadores de Arruda, Pedro Belbute fechou-se com decisão ao primeiro intento no terceiro da tarde e Hélder Silva noutra boa consumação ao primeiro intento no que encerrou praça.

Na direcção da corrida esteve Ana Pimenta assessorada pelo veterinário José Manuel Lourenço, registando-se uma excelente moldura humana.

Texto: António Lúcio


Filipe Martinho em Badajoz

Personagens da FESTA Arruda dos Vinhos